domingo, 31 de outubro de 2010

Dicas de Iluminação para sala

A sala de estar é um desses ambientes onde podem ser realizadas as mais diversas atividades; é onde lemos, recebemos amigos, conversamos, assistimos televisão, trabalhamos, relaxamos, namoramos, enfim, um dos espaços mais freqüentados da casa.
Para iluminar a sala de estar de modo que seja possível criar a sensação e as condições esperadas para os diferentes momentos, é preciso trabalhar com diversos tipos de iluminação. A sala de estar é um desses ambientes onde podem ser realizadas as mais diversas atividades; é onde lemos, recebemos amigos, conversamos, assistimos televisão, trabalhamos, relaxamos, namoramos, enfim, um dos espaços mais freqüentados da casa.

Para iluminar a sala de estar de modo que seja possível criar a sensação e as condições esperadas para os diferentes momentos, é preciso trabalhar com diversos tipos de iluminação combinados, criando “camadas” de luz que se superpõem, e que podem ser acesas juntas ou isoladamente, atribuindo personalidade ao espaço e, contribuindo com a sensação de bem estar, conforto e motivação.

O uso de “dimmers” (variadores de intensidade de luz) para cada uma dessas camadas também é um recurso interessante, pois alem de permitir a dosagem exata da luz, pode criar infinitas combinações de acendimento, de maneira similar à iluminação natural, em constante mutação.

A partir de entrevista com o arquiteto Gilberto Franco, da Franco & Fortes Lighting Design, elaboramos o roteiro a seguir:

Tipos de Iluminação
Iluminação geral: indireta ou difusa

O primeiro passo para iluminar uma sala de estar é estabelecer uma iluminação geral para o ambiente.

Nesse caso, podemos optar pela iluminação indireta , onde o facho de luz é direcionado para o forro, o que proporciona uma iluminação geral suave. Para isso, podem ser utilizados alguns modelos de arandelas , pendentes , luminárias de piso , além das sancas com luminárias embutidas.

A foto ao lado apresenta uma luminária de piso com iluminação indireta, onde a luz é direcionada para cima e reflete na parede e no forro, iluminando o ambiente.

Outra opção é utilizar a iluminação difusa através de luminárias pendentes , plafons , arandelas ou luminárias de piso e de mesa , desse modo a fonte de luz (lâmpada) não fica visível e é distribuída para todos os lados.

A foto apresenta uma luminária pendente utilizada sobre uma mesa lateral e uma luminária de mesa, ambas com um tipo de iluminação difusa, dispostas lateralmente na sala, iluminando todo o ambiente.
     
Iluminação de destaque

O segundo passo é a iluminação de destaque , onde devem ser iluminados os objetos dispostos na sala, tais como quadros, estantes e obras de arte. Neste caso podem ser utilizados spots orientáveis, com lâmpadas mini spot ou dicróicas, de modo a iluminar a obra como um todo.

A luminária apresentada na imagem pode ser utilizada para diversos tipos de iluminação, no caso os spots foram direcionados para iluminação de destaque, (spot direcionado para os objetos da mesa lateral), iluminação de tarefa (spot iluminando a poltrona para leitura) e iluminação indireta (spot direcionado para o forro).

Dicas:

• Utilize a iluminação de destaque preferencialmente na diagonal , situação na qual trabalhará com contrastes – luz e sombra, de forma mais interessante. No caso de uma escultura, se a fonte de luz ficar exatamente em cima do objeto, pode causar uma sombra desagradável.

• A luz fria das fluorescentes não serve para iluminar as obras de arte.

Iluminação de tarefa

E finalmente, o terceiro passo é quanto à iluminação de tarefa , onde se pode utilizar luminárias de mesa ou luminárias de piso que sejam flexíveis, ou seja, peças que possibilitem direcionamento sobre a tarefa a ser executada (leitura, trabalhos manuais, etc.), pois além de gerar maior conforto possibilitará maior economia de consumo energético.

As fotos mostram luminárias de tarefa direcionadas para o assento, local onde a luz possibilitaria a leitura de um livro, por exemplo.

Dicas:

• Na iluminação de tarefa deve-se iluminar o objeto em questão (livro, jornal, trabalho manual, etc) evitando a sombra originada pela pessoa que lê, a luz deve estar direcionada sobre o objeto e não atrás do usuário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário